"E cedo, porque me embala Num vaivém de solidão..."

22
Set 11

 

 

Todos os que tinham a Alma ausente

Estavam fechados num hospício distante

Situado entre o díspar e o semelhante

Num lugar nem muito frio nem muito quente.

 

E tinham um ar de tal modo diferente

Que alguns diziam com atitude confiante

Serem de origem galáctica e mutante

E não verdadeiramente gente.

 

Pobres de Alma destituídos

Vagueavam como andróides perdidos

Sem inicio, nem fim.

 

Alguns contemplavam o infinito,

Iam soltando um pequeno grito

E sorriam de vez em quando para mim.

 

(Lígia, 1 de Maio 2009)

 

publicado por Lígia Laginha às 09:43
tags: ,

Setembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
14
16
17

19
20
21
24

26
27
28
29
30


subscrever feeds
arquivos
2011

mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

20 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO